RSS

Os gêneros literários da Bíblia (V)

18 abr

“O Verbo” – n° 193 – 1ª quinzena de Dezembro 2004

No estudo dos gêneros literários da Bíblia, faz-se mister abordar o valor simbólico dos números. Ora, no Oriente Antigo, o número não era só um valor aritmético, mas possuía também um sentido de fundo filosófico e religioso. Por isso, na Bíblia, os números, não raras vezes, são utilizados simbolicamente, destituídos de seu valor quantitativo: “Parece que este significado era simplesmente parte do uso comum e não parte de qualquer especulação numerológica” (J. L. Mckenzie).

Dessa forma, o uso do número “4” deriva, provavelmente, dos 4 pontos cardeais, dos quais procedem os “4 ventos”. Também 4 são as estações do ano. Trata-se, pois, do número utilizado para se falar do mundo em que vivemos.

O número “6” se refere ao tempo, à evolução, à história, à imperfeição (daí o “666“, a imperfeição absoluta).

Emprega-se o número “7” para falar da perfeição, do definitivo, do divino, da bênção e da plenitude da vida. Por isso, o 7 determina a estrutura da narrativa da criação (Gn 1). O “sétimo dia” é o dia do descanso de Deus e o sabbat (dia de repouso), do homem. Na genealogia, Henoc é o sétimo patriarca, depois de Adão. Com notável freqüência, aparece o número simbólico 7, nos dados sobre a idade de Lamec que vivera 777 anos, sinônimo de uma vida plena e abençoada (Gn 5,25.28.30). Assim, quando completara 182 anos (= 26×7), nasce-lhe Noé, o continuador da sua estirpe. O tempo restante de sua vida abrange 595 (= 85×7). Em Nm 23,1, os ritos de Balaão giram em torno do número 7 (7 novilhos, 7 carneiros e 7 altares). Os israelitas marcharam 7 dias em volta de Jericó, com 7 sacerdotes (Js 6,1ss). O sétimo ano é o Ano Sabático. Em Jr 15,9, o luto se abate sobre a mãe de 7 filhos, e se afirma que a matriarca Rute “vale mais que 7 filhos” (Rt 4,15). No Novo Testamento, Jesus diz a Pedro de perdoar “70×7” (Mt 8,21-22), ou seja, “sempre”. Sete são os primeiros diáconos da Igreja (At 6,3ss). No Apocalipse, o número 7 está por toda a parte: 7 Igrejas (1,4), 7 espíritos de Deus (1,4), 7 lâmpadas (4,5), 7 selos (5,1), 7 anjos (8,2), 7 trombetas (8,2), o dragão possui 7 cabeças (12,3), 7 são também as cabeças da Besta (13,1), 7 pragas (15,1), 7 taças (15,7): tudo isso para transmitir a idéia de totalidade e de plenitude.

O número 10 é preferido para as épocas históricas. Trata-se de um número redondo (2×5, a soma dos dedos) muito freqüente. É o número santo que já se acha nas palavras de Deus, pelas quais toda a criação foi chamada à existência (Gn 1); assim também na enumeração dos patriarcas, de Adão a Noé, bem como nos Mandamentos da Lei de Deus (Decálogo).

O significado do 12 deriva do sistema sexagesimal sumério, que sobrevive em nossa dúzia. 12 são os filhos de Jacó, que deram origem às 12 tribos de Israel. 12 são os Apóstolos de Jesus. Também com uma idéia de plenitude e de perfeição.

No próximo artigo, o simbolismo de outros números bem como as idades dos patriarcas.

 

Padre Lucas

 

 

 

 

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em abril 18, 2008 em Biblia, Estudo Biblico

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: