RSS

A mensagem do Pentateuco IV

10 jun

Durante o Exílio, alguns teólogos judeus concentraram sua reflexão na ação decisiva de Deus por meio de Moisés, antes da conquista da terra. Movidos por uma certeza: Deus, que agiu no passado, ainda pode agir novamente em favor de seu povo! Se eles perderam a posse da terra, mesmo assim essa continua sendo objeto de esperança e, por isso, após o Exílio, continua-se a esperar um futuro melhor!

O Pentateuco nos manifesta a expressão da fé do povo, e se apresenta como uma história coletiva. Entretanto, essa meditação sobre o passado não se realizou de uma só vez; sabemos que, no Pentateuco, encontram-se pontos de vista que se explicam tanto pelas circunstâncias históricas como pelas diferentes influências que se exerceram sobre grupos particulares e se cristalizaram em diversas “tradições”. Dessa forma, a expressão da fé se acha ligada a essas variadas experiências coletivas.

A imagem de Deus apresentada pelo Pentateuco não é uniforme; a amálgama das diversas tradições (J, E, D, P) é para nós motivo de reflexão: ela nos convida a lançarmos um novo olhar sobre a diversidade da expressão da fé hoje. Para tanto, faz-se mister superar uma leitura ingênua dos textos, que não permitiria ver a verdadeira intenção do que é narrado. Não podemos deixar-nos confundir pelo modo de narrar dos antigos; as narrações têm um papel singular no aprofundamento da relação de Israel com Deus. A diversidade dos gêneros literários não é aqui nada mais do que a riqueza de vida que anima as pessoas.

A seriedade das questões postas e das respostas é impressionante; cada leitor é interpelado mais diretamente por uma ou outra, em função de sua própria experiência.

“A leitura do Pentateuco, que não se pode separar da dos profetas, mostra a seriedade que a fé exige do homem no seu trato com Deus, o cuidado em distinguir o que pode ser a vontade de Deus, a dificuldade de ouvir a Deus em todas as dimensões da existência, o que faz surgir a questão dolorosa da infidelidade, a necessidade do perdão para se continuar a avançar no caminho da fé” (J. Briend).

Assim, o Pentateuco, como todo o Antigo Testamento, está aberto a uma leitura cristã. Ao seguir as idéias determinantes de cada tradição, constata-se que elas convergem para Jesus de Nazaré. De fato, Jesus não veio coroar a esperança na vinda de um rei segundo o coração de Deus, na perspectiva da tradição Javista (J)? Não podemos ver a provação e o sofrimento como caminho de salvação, descritos pela Eloísta (E), como que uma prefiguração das perseguições e sofrimentos de Jesus? A Deuteronomista (D) se orienta em vista da organização de uma assembléia unânime no serviço de Deus: não deveríamos ver nisso um apelo a um dom do Espírito trabalhando no coração humano para torná-lo membro da comunidade fraterna nascida no Pentecostes? A tradição Sacerdotal (P), justamente preocupada com a reconciliação com Deus, não encontra sua resposta final na teologia neotestamentária?

Finalmente, a leitura do Pentateuco nos lembra que ainda estamos em marcha para Deus e que nossa lentidão é, não raras vezes, muito semelhante à do povo de Israel! Continua…

Padre Lucas

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em junho 10, 2008 em Biblia, Estudo Biblico

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: