RSS

Teologia de Gn 1,1-2,4a (IX)

“O Verbo” – n° 236 – 2ª quinzena de Outubro 2006

Deus disse: ‘Façamos o homem à nossa imagem, como nossa semelhança, e que eles dominem sobre os peixes do mar, as aves do céu, os animais domésticos, todas as feras e todos os répteis que rastejam sobre a terra’. Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus Ele o criou, homem e mulher Ele os criou (Gn 1,26-27). Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a (VIII)

“O Verbo” – n° 235 – 1ª quinzena de Outubro 2006

 

 

No sexto dia, temos a criação de duas obras: os animais e o ser humano – sétima e oitava obras, respectivamente -, que correspondem à terceira obra; a separação da terra enxuta da amplidão do mar: Deus disse: ‘Que as águas que estão abaixo do céu se reúnam num só lugar e assim apareça o continente’, e assim se fez. Deus chamou ao continente ‘terra’ e à massa das águas, ‘mares’, e Deus viu que isso era bom (Gn 1,9). Esse ato criador pusera a descoberto a terra; agora, trata-se de provê-la com habitantes. Hoje, abordaremos apenas a sétima obra: a criação dos animais. No próximo artigo, trataremos da criação do ser humano: a “obra prima” de Deus. Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a (VII)

“O Verbo” – n° 234 – 2ª quinzena de Setembro 2006

No Quinto dia, temos a sexta obra: Deus disse: “Fervilhem as águas um fervilhar de seres vivos e que as aves voem acima da terra, sob o firmamento do céu”. E assim se fez. Deus criou as grandes serpentes do mar e todos os seres vivos que rastejam e que fervilham nas águas segundo a sua espécie, e as aves aladas segundo a sua espécie, e Deus viu que isso era bom. Deus os abençoou e disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a água dos mares, e que as aves se multipliquem sobre a terra”. Houve uma tarde e uma manhã: quinto dia (Gn 1,20-23). Trata-se de providenciar os habitantes para o reino das águas: os pássaros para as águas superiores, e os peixes para as águas inferiores. Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a (VI)

“O Verbo” – n° 233 – Especial – Fórum Eleições 2006 –

1ª quinzena de Setembro 2006

No artigo anterior, concluímos a série de quatro obras criadas nos três primeiros dias (Gn 1,3-13), e que indicam a “criação dos espaços”. Santo Tomás de Aquino (séc. XIII) faz uma distinção entre essas obras – “o céu, a terra e todo seu exército”-, às quais denomina opus distinctionis, por se referir “àquilo que se acha firme”, e às seguintes, opus ornatus (Gn 1,14-31), aquilo que e se move dentro desses “espaços” (Summa Theol. I, q.70, a.1). Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a (V)

“O Verbo” – n° 232 – 2ª quinzena de Agosto 2006

No Terceiro dia da criação, temos duas obras: a separação das águas (“mares”) da terra enxuta (“continente”), e a criação da “vegetação”. Comecemos pela primeira: Deus disse: ‘Que as águas que estão sob o céu se reúnam num só lugar e que apareça o continente’, e assim se fez. Deus chamou ao continente ‘terra’ e à massa das águas ‘mares’, e Deus viu que isso era bom (Gn 1,9-10). A água se amontoa numa só “massa” (miqweh), como leram aqui os LXX e como se encontra no v. 10, ao invés de “lugar” (mãqôm), como se encontra no Texto Massorético (hebraico) seguido pela Vulgata (latim). De fato, o texto quer expressar a seguinte idéia: as águas não ocuparão mais toda a superfície, mas terão um lugar próprio e delimitado. Ora, “que a terra tenha já estado lá e não tenha de ser libertada faz parte da descrição do caos e, portanto, da tradição recebida” (R. de Vaux). Dessa forma o conjunto das águas marinhas é considerado uma só massa, por se relacionarem entre si. A terra enxuta emerge das águas como que uma ilha. Após a fórmula de execução, “e assim sucedeu”, os LXX trazem a descrição da execução: As águas que estão sob o céu se amontoaram em suas massas, e apareceu o enxuto.

 

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a (IV)

“O Verbo” – n° 231 – 1ª quinzena de Agosto 2006

Deus disse: ‘Haja um firmamento no meio das águas que separe as águas das águas’, e assim se fez. Deus fez o firmamento, que separou as águas que estão abaixo do firmamento das águas que estão acima do firmamento, e Deus chamou ao firmamento ‘céu’. Houve uma tarde e uma manhã: segundo dia (Gn 1,6-8).

 

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis

 

Teologia de Gn 1,1-2,4a(III) – Primeira obra: a criação da luz

“O Verbo” – n° 230 – 2ª quinzena de Julho 2006

Após uma introdução geral à Gn 1-11, iniciamos uma análise mais específica dos elementos teológicos aí contidos. Iniciamos nossa abordagem pelo primeiro capítulo, mesmo sabendo ser mais recente em relação aos demais. Trata-se de um texto atribuído à Tradição Sacerdotal, provavelmente redigido ainda no Exílio (586 a.C.). Em Gn 1,1-2, é narrada a criação, após a qual o mundo não tem o seu aspecto definitivo, mas é aí apresentado como que uma casa de três andares: abaixo, a região das trevas; ao alto, a região das águas; e ao meio, a terra. Assim, veremos, a partir de hoje, que a ação divina se exercerá sucessivamente sobre cada uma dessas três regiões.

 

Read the rest of this entry »

 
1 comentário

Publicado por em setembro 1, 2008 em Biblia, Estudo Biblico, genesis